Arthur Maia, Garante Respeito às Prerrogativas da Imprensa

O Deputado Arthur Maia, presidente da CPMI, esclareceu que a convocação do jornalista Adriano Machado visa obter esclarecimentos como testemunha, não investigado, reforçando o compromisso da comissão com a liberdade de imprensa.

· 1 minuto de leitura
Arthur Maia, Garante Respeito às Prerrogativas da Imprensa
Depoimento do Jornalista fotográfico Adriano Machado, sobre o dia 8 de janeiro

O jornalista Adriano Machado é convocado como testemunha, não como investigado.

Em recente pronunciamento, o presidente da CPMI, Arthur Maia (União-BA), esclareceu a convocação do jornalista Adriano Machado, garantindo que não representa nenhuma violação à liberdade de imprensa.

Arthur Maia deixou claro que o objetivo da convocação não é intervir na liberdade jornalística, mas sim obter mais informações sobre o dia em questão. "Você está vindo aqui como testemunha pelas imagens que foram gravadas e alguns questionamentos sobre o que aconteceu naquele dia", declarou.

O presidente enfatizou a necessidade de respeitar as prerrogativas constitucionais da imprensa brasileira, traçando um paralelo com as proteções oferecidas a deputados e senadores. "Nós, como representantes, também temos a inviolabilidade por nossas palavras, opiniões e votos, mas não podemos usar essas proteções para atacar outros", explicou.

Maia se posicionou contra a possibilidade de cobrar de jornalistas suas fontes, reconhecendo que a proteção à fonte é sagrada pela constituição. Ele tranquilizou o jornalista e os presentes, garantindo que Machado foi convocado como testemunha e não como investigado. Finalizou reiterando o compromisso do colegiado em garantir que o processo ocorra com normalidade e respeito.

O Deputado Arthur Maia, presidente da CPMI, esclareceu que a convocação do jornalista Adriano Machado visa obter esclarecimentos como testemunha, não investigado, reforçando o compromisso da comissão com a liberdade de imprensa.