Cultura em Mato Grosso: R$ 3 Mi em Curtas, Videoclipes e Mais

Com recursos do Edital do Audiovisual, Mato Grosso lançou projetos como 'Caminhos Ciganos' e 'Undual', e prevê investir R$ 25,72 mi até 2024.

· 1 minuto de leitura
Cultura em Mato Grosso: R$ 3 Mi em Curtas, Videoclipes e Mais
Foto: Karen Ferreira, Rodrigo Zaiden e Aluízio de Azevedo

O estado de Mato Grosso, está investindo em produções artísticas regionais através do Edital do Audiovisual, da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel). Com um investimento de R$ 3 milhões, foram selecionados 34 projetos de curta-metragem, videoclipe, videodança e videoarte. Entre os projetos selecionados estão o documentário "Caminhos Ciganos" e o videoarte "Undual", que foram lançados gratuitamente para o público em 1º de setembro. Outros lançamentos recentes incluem o curta-metragem "Tereza de Benguela", o videoarte "Macunaíma Pop do Cerrado" e o videoclipe "Treme".

O documentário "Caminhos Ciganos" explora as culturas e identidades ciganas do Brasil, França e Portugal, e foi finalizado com recursos do Edital. O filme foi lançado em três cidades com comunidades ciganas que participaram da obra: Cuiabá, Rondonópolis e Tangará da Serra. O videoarte "Undual" explora a poética surrealista para retratar a subjetividade e contradições das relações humanas.

Além desses, outros projetos aprovados no Edital do Audiovisual estão em andamento, incluindo o curta-metragem "Mansos", que retrata o protagonismo das mulheres negras e a história de uma família impactada pela construção de uma hidrelétrica, e o filme de terror "Vale da Estranheza", que reúne elementos místicos, criaturas sobrenaturais, psicopatologias humanas e o universo dos vampiros.

O investimento no setor audiovisual em Mato Grosso tem crescido desde 2020, com recursos totais de R$ 6,2 milhões destinados ao segmento até o final de 2022, e uma previsão de R$ 25,72 milhões até 2024, por meio da Lei Paulo Gustavo. O secretário adjunto de Cultura da Secel, Jan Moura, explicou que o investimento em cultura gera renda, emprego, aquece a economia, promove cidadania e sociabilidade. A superintendente de Desenvolvimento da Economia Criativa da Secel, Keiko Okamura, destacou a importância cultural, social e econômica do setor audiovisual.

No total, dos 34 projetos aprovados no Edital do Audiovisual, 22 são de curta-metragem, 8 são videoclipes, 2 são de videodança e 2 de videoarte. Os projetos receberam valores entre R$ 25 mil e R$ 150 mil, de acordo com a proposta aprovada.