Polícia Federal investiga pessoas que agrediram Alexandre de Moraes na Itália!

A PF identificou as pessoas que agrediram o Ministro do STF, Alexandres de Moraes e se filho no aeroporto na Itlália. São três brasileiros que agora serão investigados.

· 2 minutos de leitura
Polícia Federal investiga pessoas que agrediram Alexandre de Moraes na Itália!
O ministro foi agredido juntamente com seu filho no desembarque do aeroporto na Itália. Imagem: Cortesia Marcelo Camargo - Agência Brasil.

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, enfrentou uma situação hostil no aeroporto internacional de Roma, na Itália, após participar de um evento na Universidade de Siena. O ocorrido despertou a atenção das autoridades brasileiras, e a Polícia Federal (PF) já iniciou uma investigação para apurar o incidente e os agressores.

Entenda o caso...

No último dia 14, por volta das 18h45 no horário local (13h45 de Brasília), o ministro Alexandre de Moraes, acompanhado de sua família, foi alvo de xingamentos por parte de três brasileiros no aeroporto de Roma.

Moraes estava retornando de uma palestra no Fórum Internacional de Direito, onde compartilhou suas perspectivas sobre temas jurídicos. A Procuradoria-Geral da República (PGR) solicitou à PF informações detalhadas sobre o incidente, considerando-o repulsivo por afetar não apenas o ministro, mas também sua família.

Identificação dos agressores

A Polícia Federal age prontamente para identificar os agressores que hostilizaram o ministro Moraes. Um deles, Roberto Mantovani Filho, um empresário de 71 anos, teria inclusive agredido fisicamente o filho do ministro com um golpe no rosto, quando este tentou intervir na discussão.

A PF já abriu um inquérito e acionou a diplomacia brasileira em Roma, solicitando cooperação internacional para obter as imagens do incidente.

Solidariedade da PGR e preocupação com a família

O procurador-geral da República, em mensagem de solidariedade ao ministro Moraes, manifestou sua repulsa diante da possível agressão sofrida por ele e sua família.

O ataque a um magistrado e o envolvimento de seus entes queridos é considerado especialmente grave. A PGR busca informações detalhadas sobre o ocorrido para tomar as devidas providências.

A repercussão do caso

Neste sábado, vários jornais italianos repercutiram as agressões e fizeram um pequeno resumo da atuação do ministro à frente do TSE e no STF.

Nas redes sociais, a maioria das pessoas foram favoráveis às agressões e muitos acreditam que o ministro sofreu uma retaliação merecida pelos seus atos.

O presidente da Câmara dos deputados Arthur Lira, twittou:

“Minha solidariedade ao ministro do STF, Alexandre de Moraes, e sua família agredida no aeroporto de Roma. É inaceitável que se use o argumento de liberdade de expressão para agredir, ofender e desrespeitar autoridades constituídas. Isso não pode continuar”.

Já o senador Rodrigo Pacheco, presidente do Senado disse:

“Atos de hostilidade como os que sofreram o ministro Alexandre de Moraes e sua família, ontem, são inaceitáveis. A eles, minha solidariedade”.

Em nota, a Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) se manifestou contra os ataques e repúdio o ocorrido, se solidarizando com o minstro.